top of page

Kim Petras agradece artistas trans em vitória histórica no Grammy por “Unholy” com Sam Smith

Petras e Smith ganharam a categoria de melhor performance pop ou de grupo por seu hit viral

A cantora pop alemã Kim Petras recebeu aplausos de pé ao alcançar uma vitória histórica na cerimônia do Grammy, na noite deste domingo (6).

Pelo hit viral nas redes sociais “Unholy”, ela dividiu com Sam Smith o prêmio de melhor performance pop de um duo ou grupo, se tornando a primeira artista trans a vencer na categoria.

Smith, que é não-binário e já venceu um gramofone em 2015, cedeu o microfone para a colega, que dedicou a vitória às “lendas trans antes de mim que abriram essas portas para mim”.

Ela citou nominalmente sua colega e renomada produtora, cantora e DJ escocesa Sophie – que morreu em um acidente no começo de 2021.

Petras também agradeceu a Madonna, que estava presente na premiação em Los Angeles, nos Estados Unidos, por apoiar os direitos da comunidade LGBT+.

Ela concluiu seu discurso agradecendo sua mãe por apoiá-la durante a transição de gênero.

A alemã não é a primeira artista trans a ser nomeada ou vencer um Grammy, mas é uma das que recebeu maior visibilidade.

Por exemplo, a compositora e musicista americana Wendy Carlos – que assina as trilhas sonoras de “Laranja Mecânica” e “O Iluminado” – venceu três Grammys ainda nos anos 1960.

Neste ano, a DJ trans Honey Dijon também entrou para a história por colaborar na produção de “Renaissance”, que venceu a categoria de melhor álbum dance/eletrônico. O disco que garantiu o 32º gramofone de Beyoncé, a artista mais premiada da história do Grammy.


0 visualização
bottom of page