top of page

Descubra quais são as engenharias com os melhores salários

As engenharias estão sempre entre os cursos mais buscados por estudantes de todo o país por vários motivos, como a tradição da profissão, a grande variedade da área e, claro, as promessas de salários atrativos. Mas será que uma área pode pagar muito mais do que a outra? A resposta é: depende! Alguns profissionais da Engenharia conseguem receber salários exorbitantes, de dezenas de milhares de reais, mas isso pode variar dentro da mesma profissão conforme o projeto que ele está trabalhando ou experiência. Por isso, vale a pena pesquisar antes de fazer a sua escolha final. Qual é a Engenharia que paga o melhor salário? De acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), organizado pelo Ministério do Trabalho, a área de engenharia com maior média salarial é Engenharia de Minas. O salário médio dos engenheiros que trabalham com mineração gira em torno de R$9 a R$12 mil, conforme a especialização. É muito importante lembrar que o CAGED reúne os dados de todos os salários que foram registrados pelos empregadores na Carteira de Trabalho do funcionário. Existem profissionais que ganham mais ou menos que este valor, mas esta é a média brasileira. Mais dez opções de engenharias com melhores salários A lista de bons salários médios não tem só a Engenharia de Minas. Selecionamos outras dez áreas que pagam os melhores salários aos seus profissionais. Alguns valores variam pois as profissões possuem especializações. Confira:

  • Engenharia Mecânica: R$8 mil a R$10mil

  • Engenharia Naval: R$10 mil

  • Engenharia de Materiais: R$9,9 mil

  • Engenharia Civil: R$6 mil a R$10 mil

  • Engenharia de Sistemas: R$9,4 mil

  • Engenharia Aeronáutica: R$9,3 mil

  • Engenharia Química: R$7 mil a R$9,3 mil

  • Engenharia de Telecomunicações: R$9,3 mil

  • Engenharia de Software: R$9 mil

  • Engenharia Elétrica: R$8,8 mil

Estes valores são válidos para empresas privadas. Infelizmente, os concursos públicos para Engenharia, principalmente em cidades menores, não costumam contar com valores mais atrativos que os do setor privado, que acabam atraindo os melhores profissionais. Se você estiver em busca de um salário mais alto, leve em conta também a área de atuação. Um engenheiro de minas, por exemplo, terá opções mais atrativas em estados do Brasil onde as grandes empresas de mineração estão estabelecidas, como Minas Gerais. Há também a possibilidade de atuar como autônomo e prestando serviços como pessoa jurídica. Neste caso, os ganhos mensais irão depender dos contratos fechados pelo profissional. É o caso de muitas pessoas que trabalham com Engenharia Agronômica, por exemplo.

Quais adicionais podem turbinar o salário do Engenheiro? O salário de um engenheiro pode ser muito maior do que está registrado em carteira se a empresa oferecer alguns benefícios especiais ou conforme a sua jornada de trabalho. Por exemplo, quem trabalha durante a noite deve receber obrigatoriamente o adicional noturno. Isso pode agregar ao holerite, em geral, mais um quarto do salário base. Algumas empresas agregam na remuneração a PLR, que é uma participação que os funcionários recebem quando a empresa tem bons resultados e lucro. Quando as finanças vão bem, os bônus da PLR podem representar um salário a mais por ano (ou até mais). Hoje em dia também é muito comum que as empresas ofereçam plano de saúde; plano odontológico; vale-alimentação; vale-refeição; auxílio para funcionários com filhos; clube de descontos em cursos de línguas, pós-graduação, hotelaria ou lojas; passe livre para academias; entre outros benefícios. Qual é o piso salarial do Engenheiro? A categoria da Engenharia tem um piso salarial definido desde 1966 pela Lei Federal Nº 4.950-A. A mesma legislação é aplicada para os formados na área da Química, Arquitetura, Agronomia e Veterinária. O valor estabelecido pela lei é de pelo menos seis vezes o salário mínimo nacional. De acordo com o Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo (SEESP), o piso salarial da categoria fixado para o ano de 2022 é:

  • R$7.272,00, para seis horas diárias de trabalho;

  • R$9.090,00, para sete horas e meia diárias de trabalho;

  • R$10.908,00, para oito horas diárias de trabalho.

Entre a categoria de engenheiros há muita reclamação sobre empresas que registram os profissionais com outros nomes, como Analista de Engenharia, para evitar pagar o piso salarial. Em caso de denúncia e caso comprovado o desvio de função ou remuneração inadequada, a empresa pode ser multada e processada, devendo adequar o salário, jornada e condições ao seu funcionário. O que preciso para ser engenheiro? Para ser engenheiro em qualquer uma das profissões que citamos acima, você vai precisar ter concluído um curso de nível superior de Engenharia em uma faculdade reconhecida pelo MEC. É importante lembrar que cada engenheiro possui sua área de atuação, por isso, a escolha do curso é um passo muito importante. Depois de formado, é necessário se registrar no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) do seu estado e pagar uma anuidade para manter sua licença profissional. A atuação sem esse registro em dia é ilegal. A taxa de anuidade no CREA-SP em 2022 foi fixada em R$577,11 para pessoas físicas.

18 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page