top of page

Carta chega ao destino mais de 100 anos depois de ser enviada

Envelope com selo de um pence com a cabeça do rei George V foi escrita em 1916

Uma carta finalmente chegou ao seu destino – mais de um século depois de ter sido escrita.

Enviada em fevereiro de 1916, a correspondência chegou ao endereço pretendido em Hamlet Road, no sul de Londres, para a grande perplexidade dos atuais ocupantes.

“Percebemos que o ano era 16. Então pensamos que era 2016”, disse Finlay Glen à CNN na quinta-feira (16).

“Então percebemos que o selo era um rei em vez de uma rainha, então sentimos que não poderia ser 2016”.

Glen disse à CNN que a carta chegou à propriedade há alguns anos, mas só recentemente ele a levou à sociedade histórica local, para que eles pudessem pesquisá-la mais a fundo.

O envelope tem um selo de 1 pence com a cabeça do rei George V.

A carta foi enviada no meio da Primeira Guerra Mundial – mais de uma década antes do nascimento da rainha Elizabeth II.

“Assim que percebemos que era muito antigo, achamos que não havia problema em abrir a carta”, disse Glen, 27.

De acordo com a Lei dos Serviços Postais de 2000, é crime abrir correspondência não endereçada a você. Mas Glen disse que “só pode se desculpar” se cometer um crime.

Depois de perceber que a carta pode ser de interesse histórico, ele a deu à Norwood Review, uma revista trimestral local.

“Como historiador local, fiquei surpreso e feliz por receber os detalhes da carta”, disse Stephen Oxford, editor da revista, em um comunicado.

A carta foi endereçada a “minha querida Katie”, que, de acordo com Oxford, era a esposa do magnata local Oswald Marsh.

Foi escrito por Christabel Mennel, filha do comerciante de chá Henry Tuke Mennel, enquanto sua família estava de férias em Bath, no oeste da Inglaterra.

Na carta, Mennel escreve: “Estou muito infeliz aqui com um resfriado muito forte”.

O bairro do sul de Londres era um centro de atividades comerciais na época.

“Muitas pessoas ricas de classe média se mudaram para a área no final de 1800”, disse Oxford à CNN.

Oswald Marsh, o ex-residente da propriedade de Hamlet Road, “era um negociante de selos altamente conceituado, frequentemente chamado como testemunha especialista em casos de fraude de selos”, de acordo com Oxford.

A Norwood Review está produzindo um relatório completo sobre a carta. No entanto, permanece um mistério sobre como a carta chegou ao apartamento de Glen.

“Incidentes como este acontecem muito ocasionalmente e não temos certeza do que aconteceu neste incidente”, disse um porta-voz do Royal Mail à CNN em um comunicado na quinta-feira.

“Apreciamos que as pessoas fiquem intrigadas com a história desta carta de 1916, mas não temos mais informações sobre o que pode ter acontecido”.

Oxford observou que a carta tinha o carimbo de “Sydenham”, uma área no sudeste de Londres.

Ele acha que “pode muito bem ter sido perdido sentado em um canto escuro no escritório de triagem de Sydenham e descoberto apenas recentemente”.

Glen disse que ele e sua namorada ficariam felizes em entregar a carta a um arquivo local se ela tiver “sério significado histórico”.

Mas, se for considerado mais “inócuo”, disse ele, “seria bom podermos mantê-lo”.

Glen, um diretor de teatro e dramaturgo, disse que não costuma incluir estranhas reviravoltas do destino em suas peças. Mas, depois dessa entrega fortuita, “talvez a próxima o faça”.


Link de referência da matéria: https://www.cnnbrasil.com.br

1 visualização
bottom of page