top of page

Quais são as áreas de atuação do biólogo?

O biólogo trabalha no estudo e desenvolvimento de pesquisas sobre os seres vivos, assim como o funcionamento de seus sistemas, formas de reprodução e interação com o meio ambiente.

No entanto, suas funções não limitam-se às mencionadas acima. Existem três principais áreas em que esse profissional pode atuar e desenvolver atividades específicas. A UNIFF reuniu informações detalhadas sobre cada uma delas. Confira!

Para se tornar um biólogo, o primeiro passo é ter formação no curso de Ciências Biológicas. O grau bacharelado dessa graduação capacita os profissionais para trabalhar em instituições privadas, órgãos públicos, como autônomos ou até mesmo em organizações não governamentais. Já a licenciatura prepara o futuro biólogo para dar aulas. Ambos possuem duração média de quatro anos.


O segundo passo é estar registrado em um Conselho Regional de Biologia (CRBio). Feito isso, o biólogo formado e habilitado pode atuar em três áreas: meio ambiente e biodiversidade, saúde e biotecnologia. Veja a seguir quais atividades o biólogo pode exercer em cada uma dessas áreas:


Meio ambiente e Biodiversidade:

  • Aquicultura (ambiente aquático);

  • Arborização urbana;

  • Auditoria ambiental;

  • Bioespeleologia (biologia de cavernas);

  • Bioética (ética na ciência e em pesquisas);

  • Bioinformática;

  • Biomonitoramento;

  • Biorremediação (utilização de microrganismos para remediar contaminações);

  • Controle de vetores e pragas;

  • Curadoria e gestão de coleções biológicas, científicas e didáticas;

  • Desenvolvimento, produção e comercialização de materiais, equipamentos e kits biológicos;

  • Diagnóstico, controle e monitoramento ambiental;

  • Ecodesign ou design sustentável;

  • Ecoturismo;

  • Educação Ambiental;

  • Fiscalização/Vigilância ambiental;

  • Gestão ambiental;

  • Gestão de bancos de germoplasma (material genético);

  • Gestão de biotérios (lugar em que animais ficam antes de serem utilizados em experimentos);

  • Gestão de jardins botânicos;

  • Gestão de jardins zoológicos;

  • Gestão de museus;

  • Gestão da qualidade;

  • Gestão de recursos hídricos e bacias hidrográficas;

  • Gestão de recursos pesqueiros;

  • Gestão e tratamento de efluentes e resíduos;

  • Gestão, controle e monitoramento em ecotoxicologia (efeitos tóxicos de poluentes);

  • Inventário, manejo e produção de espécies da flora nativa e exótica;

2 visualizações
bottom of page