top of page

Copo Stanley tem chumbo? Entenda os riscos do metal para a saúde

Chumbo se acumula no corpo humano e pode ser tóxico a depender da quantidade a que a pessoa foi exposta


Primeiro, os copos Stanley estavam em todas as redes sociais porque muitas pessoas os queriam. Agora, os copos de grandes dimensões voltaram aos holofotes devido ao receio de que possam conter chumbo.


Vídeos em sites de mídia social como o TikTok mostram pessoas pegando um kit de teste de chumbo e testando-o em seus copos Stanley e outros frascos similares.

É verdade: há algum chumbo selado na base de algumas marcas de copos térmicos, incluindo a marca extremamente popular Stanley.


O chumbo é usado como parte do isolamento a vácuo do copo e é coberto por uma camada de aço inoxidável que protege os consumidores da exposição ao material, conforme informou o fabricante de copos Stanley, Pacific Market International.


“Nosso processo de fabricação emprega atualmente o uso de pellets padrão da indústria para selar o isolamento a vácuo na base de nossos produtos; o material de vedação inclui algum chumbo”, disse um porta-voz da Stanley em comunicado enviado por e-mail.


“Uma vez selada, esta área é coberta com uma camada durável de aço inoxidável, tornando-a inacessível aos consumidores.”

“Tenha certeza de que não há chumbo na superfície de qualquer produto Stanley que entre em contato com o consumidor, nem no conteúdo do produto”, disse o comunicado.

As pessoas nas redes sociais estão nervosas, considerando os perigos de qualquer exposição ao chumbo.

O metal tóxico pode causar problemas renais, anemia, problemas reprodutivos e problemas de desenvolvimento, segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA. E os copos Stanley estão por toda parte.

Os copos, que vêm em um arco-íris de cores e pode comportar mais de um litro de água enquanto ainda cabem no porta-copos de um carro, tornaram-se um símbolo de status e um bem-estar essencial para aqueles que seguem as tendências de beleza da “garota limpa” de pele hidratada e natural.

Os copos Stanley estão nas mãos de blogueiras de beleza, nos carros dos pais que vão buscar os filhos na escola e até nas listas de Natal de muitas crianças no ano passado. Alguns pais relataram que seus filhos sofriam bullying por parte dos colegas se chegassem à escola com qualquer outra marca de copos.

É necessária alguma cautela, disse Jane Houlihan, diretora de pesquisa da Healthy Babies, Bright Futures, uma aliança de organizações sem fins lucrativos, cientistas e doadores com a missão declarada de reduzir a exposição dos bebês a produtos químicos neurotóxicos.

“Se o copo permanecer intacto, provavelmente não haverá risco de exposição ao chumbo para os consumidores. Mas se o selo inferior for removido, todas as apostas serão canceladas”, disse Houlihan.

“O chumbo é tão tóxico que você simplesmente não pode correr riscos com ele”, disse ela por e-mail. “Se uma empresa tem que confiar que seu produto permanecerá perfeitamente intacto para que seja seguro, essa empresa tem um problema básico de segurança de material que está transmitindo aos seus clientes.”

Se a tampa da base de um copo Stanley se soltar e expor a vedação, o que é raro, o copo poderá ser substituído pela garantia vitalícia, de acordo com uma declaração da Stanley.

Não apenas copos Stanley

Não é apenas a marca Stanley que utiliza chumbo. Outras marcas foram sujeitas a recall devido ao uso do material, segundo a Comissão de Segurança de Produtos de Consumo (CPSC) dos EUA.

Em novembro, a agência federal anunciou o recall de cerca de 84.000 copos infantis de aço inoxidável Tiblue e 3.600 conjuntos de copos infantis Klickpick Home vendidos na Amazon devido a “um cordão de solda acessível com níveis de chumbo que excedem a proibição federal de conteúdo de chumbo”.

No início daquele mês, cerca de 1.600 copos infantis de aço inoxidável PandaEar e 200 copos infantis de aço inoxidável Laoion vendidos na Amazon foram recolhidos pelos mesmos motivos, segundo o site do CPSC.

E em julho do ano passado, cerca de 346 mil copos infantis de aço inoxidável Cupkin foram recolhidos pelo fabricante porque continham níveis de chumbo que excediam a proibição federal de teor de chumbo de 100 partes por milhão. (Para a água, o nível de ação é de 15 partes por bilhão, segundo a Agência de Proteção Ambiental dos EUA.)

“Em geral, a CPSC tem regulamentações rígidas sobre o conteúdo de chumbo, especialmente para produtos infantis. Emitimos vários recalls de chumbo em produtos infantis”, disse a secretária de imprensa do CPSC, Patty Davis.

“E encorajamos os consumidores a informarem-nos se estiverem preocupados com um risco de segurança associado a um produto no nosso website”, disse Davis.

Por que chumbo?

Por que o chumbo seria encontrado em um copo?

“Usar chumbo para soldar é uma prática de fabricação muito antiga, que era bastante comum”, disse Olga Naidenko, vice-presidente de investigações científicas do Grupo de Trabalho Ambiental com sede em Washington, DC, uma organização sem fins lucrativos e apartidária “dedicada à proteção da saúde humana e o meio ambiente”.

“Em copos isolados, o chumbo foi usado na solda que veda o vácuo entre a camada interna e externa de um copo”, disse ela por e-mail. “Muitos fabricantes estão afirmando agora que estão usando alternativas ao chumbo para selar o vácuo nesses tipos de copos.”

Qualquer potencial exposição ao chumbo é inaceitável e as empresas devem avançar para fabricar estes produtos sem chumbo, acrescentou Naidenko.

Não há níveis seguros de chumbo

Não existe um nível seguro de chumbo para crianças, de acordo com a Comissão de Produtos de Consumo e Segurança dos EUA.

“Mesmo níveis baixos de chumbo no sangue demonstraram afetar a aprendizagem, a capacidade de prestar atenção e o desempenho acadêmico”, disse o CDC.

O chumbo “bioacumula-se” no corpo, o que significa que permanece, se acumula ao longo do tempo e a exposição contínua, mesmo em níveis extremamente baixos, pode tornar-se tóxica.

As crianças, especialmente os fetos e os bebês, são os mais vulneráveis, afirma a Agência de Proteção Ambiental dos EUA, porque é necessária muito pouca exposição ao chumbo para danificar uma criança em comparação com um adulto.

“Uma dose de chumbo que teria pouco efeito num adulto pode ter um efeito significativo numa criança. Em crianças, baixos níveis de exposição são associados a danos no sistema nervoso central e periférico, dificuldades de aprendizagem, baixa estatura, deficiência auditiva e deficiência na formação e função das células sanguíneas”, afirma a EPA no seu website.

A principal fonte de exposição ao chumbo nos Estados Unidos vem da inalação de poeira ou da ingestão de partículas contaminadas por lascas de tinta. Isso porque o chumbo era um aditivo comum em tintas domésticas, gasolina e muitos outros materiais durante anos antes de sua toxicidade ser conhecida.

Entre 10% e 20% da nossa exposição ao chumbo provém de água contaminada, segundo especialistas. É ainda pior para os mais jovens e mais vulneráveis: os bebês podem ficar entre 40% e 60% da sua exposição ao chumbo ao beberem fórmulas misturadas com água contaminada.

Muitos especialistas sugerem que os pais testem o nível de chumbo de seus filhos aos 1 e 2 anos de idade, e possivelmente com mais frequência, dependendo da região. O teste é facilmente feito por um pediatra ou na secretaria de saúde local.


Link de referência da matéria: https://www.cnnbrasil.com.br

3 visualizações
bottom of page