top of page

Veja 8 mentiras sobre a dengue e as formas de prevenir a doença

Diante do cenário de epidemia, é fundamental se informar corretamente e identificar o que é falso sobre a doença

O dia 1º de abril, conhecido como o Dia da Mentira, é marcado por pegadinhas e brincadeiras nas redes sociais e em ambientes de trabalho, escola e faculdade. Afinal, a data faz parte da cultura brasileira. No entanto, em relação à saúde, é preciso tomar cuidado com as fake news que são espalhadas pela internet — muitas vezes, para além do dia 1º de abril –, principalmente no que diz respeito à dengue.

As autoridades da Opas (Organização Pan-Americana de Saúde) alertaram, na quinta-feira (28), que o surto de dengue nas Américas pode ser o pior já registrado, principalmente em países como Brasil, Argentina e Paraguai. Por aqui, já foram registradas mais de 800 mortes e 2 milhões de casos confirmados.


Diante desse cenário, é fundamental se informar corretamente acerca da doença. Por isso, a CNN listou 8 mentiras que são perpetuadas sobre a dengue. Confira:

1. A dengue pode ser transmitida de uma pessoa para outra

Essa é um dos principais mitos sobre a dengue. A única forma de transmissão do vírus causador da dengue é a picada do mosquito Aedes aegypti. Mas, para isso, é necessário que o mosquito esteja contaminado, ou seja, ele precisa picar uma pessoa já infectada com um dos quatro sorotipos do vírus da dengue (DENV-1, DENV-2, DENV-3 ou DENV-4) para transmitir a doença para outra pessoa. A transmissão de um indivíduo para outro não é possível.

2. Evitar a água parada é a única forma de prevenção da dengue

Evitar os focos de dengue, como o acúmulo de água parada em caixas d’água, reservatórios e outros recipientes, é apenas uma das formas de proliferação do mosquito Aedes aegypti. Para prevenir a doença, é necessário que o local seja, ainda, higienizado com frequência, pois os ovos colocados pelo mosquito podem ficar em estado de latência por até um ano, podendo eclodir quando o local tiver água acumulada novamente.

Além disso, a vacina contra a dengue também é uma maneira eficaz de prevenção da doença. Saiba quem pode tomar o imunizante pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

3. Não existem casos de dengue no inverno

É verdade que a proliferação do Aedes aegypti é mais comum nas estações mais quentes do ano, mas ele também pode circular e picar uma pessoa no inverno. Além disso, caso ocorra elevação de temperatura e dias chuvosos durante o inverno, a larva, que poderia estar em estado de hibernação, pode eclodir e reiniciar o ciclo de contaminação.

4. Usar ar-condicionado ou ventilador impede a picada pelo mosquito da dengue

Esse também é um dos principais mitos sobre a dengue. Esses aparelhos podem inibir a atividade do mosquito por reduzir a temperatura do local, dificultando a detecção de uma possível vítima da picada. Porém, tal medida não o impede de permanecer no ambiente ou de picar uma pessoa em outro momento.

5. Repelentes caseiros ajudam na prevenção

Entre as principais fake news espalhadas sobre a dengue estão que supostos “repelentes caseiros” — como citronela, lavanda ou melaleuca — podem ajudar na prevenção da picada do mosquito. No entanto, especialistas ouvidas pela CNN afirmam que esses métodos não possuem eficácia comprovada e, por isso, devem ser evitados.

Por serem feitos de maneira doméstica, esses repelentes não são testados previamente e, por isso, não é possível afirmar que eles funcionam para evitar a picada do mosquito. A recomendação é utilizar repelentes industriais com alguma das três substâncias: IR3535; DEET (N-N-dietilmetatoluamida) e Icaridina.

6. Tomar complexo B ajuda na prevenção contra a dengue

Ainda sobre métodos caseiros de prevenção contra a dengue, o complexo B está entre os principais mitos a respeito da dengue. Não há evidências científicas de que as vitaminas do complexo B tenham alguma eficácia em prevenir a picada do Aedes.

“Antigamente, nos anos 60 e 70, surgiu essa hipótese de que tomar vitamina B diariamente seria eficaz para repelir a picada do mosquito. Posteriormente, isso caiu por terra por conta de dois trabalhos científicos que mostraram que a vitamina B não tinha esse efeito”, afirma Mirian Dal Ben, infectologista do Hospital Sírio-Libanês, em matéria publicada previamente na CNN.

7. Borra de café ajuda a combater o Aedes aegypti

Muito se fala sobre usar borra de café na água das plantas para evitar e combater os ovos do mosquito Aedes aegypti, mas essa é mais uma mentira. Não há comprovação científica sobre a eficácia da borra de café na água das plantas nem sobre a terra no combate ao mosquito.

Inclusive, já foi verificado que a larva Aedes aegypti pode se desenvolver na água suja de borra de café. Por isso, a melhor forma de prevenir a proliferação do mosquito em vasos de plantas é colocar areia nos pratos dos vasos para eliminar o acúmulo de água. A higienização adequada com água e sabão também é uma prática importante no combate à dengue.

8. As larvas do mosquito só se desenvolvem em água limpa

Os ovos do mosquito também podem se desenvolver em água suja e parada. Por isso, a principal forma de prevenir a dengue é eliminar qualquer foco de água acumulada e parada, seja limpa ou suja. Isso inclui:

  • Caixas d’água;

  • Tampinhas de refrigerante e garrafas;

  • Garrafas plásticas destampadas;

  • Ralos e pias;

  • Bebedouros de animais de estimação;

  • Pneus velhos;

  • Calhas;

  • Vasos de plantas;

  • Sacos de lixos abertos;

  • Piscinas descobertas e sem o tratamento adequado.


Link de referência da matéria: https://www.cnnbrasil.com.br

3 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page