top of page

Qual a pimenta mais ardida do mundo? Conheça as 10 mais intensas

Entenda qual é a escala que classifica a ardência dessa planta e quais são as 10 pimentas mais ardidas do mundo

Afinal, qual é a pimenta mais ardida do mundo? Essa é a pergunta que os fãs da ardência dessa planta costumam fazer. Embora a malagueta tenha sua fama, há muitos outros tipos que merecem a atenção.

Quem define isso é a Escala de Scoville: ela mede o grau de ardência ou picância desse alimento ou de produtos feitos à base dele, como molhos e temperos, a partir da Medida em Unidades de Calor Scoville (SHU, na sigla em inglês).


O responsável pela criação dessa classificação foi o farmacêutico Wilbur Scoville em 1912. O teste envolvia diluir extratos de pimenta em água e açúcar até que a sensação de ardência não fosse mais detectada pelos provadores.


Apesar de ter sido aprimorada, essa escala até hoje é amplamente reconhecida como um padrão para avaliar o grau de pungência das pimentas.


Com base na quantidade SHU, então, conheça as 10 pimentas mais ardidas do mundo.


Carolina Reaper (2.200.000 SHU)


A Carolina Reaper é a pimenta mais ardida do mundo, tendo atingido uma média de 1,64 milhão de SHU nos testes, porém é capaz de chegar até 2,2 milhões. Ela foi desenvolvida por Ed Currie, na Carolina do Sul (EUA), diretor da empresa Pucker Butt Pepper Company.

É resultado entre o cruzamento da Habanero e Naga Bhut Jolokia. Apesar da vermelha ser a mais conhecida, há também a amarela e a chocolate. Para se ter uma ideia, ela é cerca de 200 vezes mais picante que uma Jalapeño.

O grau de ardência da pimenta Carolina Reaper fez com que ela entrasse no Guinness World Records em 2017 — a partir de testes conduzidos pela Winthrop University na Carolina do Sul, EUA, ao longo deste ano.

O nome é uma referência ao estado em que ela foi criada e o “reaper” quer dizer “ceifador”, como uma referência à “personificação da morte” e a sua cauda em formato de ferrão — além da própria enorme picância.

Ela é tão forte que até para manipular é preciso o uso de luvas.


Trinidad Moruga Scorpion (2.009.231 SHU)

A Trinidad Moruga Scorpion é uma das pimentas que mais arde no mundo com um grau de 2.0009.231 SHU. Ela é da espécie capsicum chinense e é considerada rara.

A origem, como sugere o nome, é de Trinidad e Tobago, mais especificamente da cidade de Moruga. Ela é geralmente pequena e tem uma aparência que varia do vermelho ao laranja. Ela tem uma forma irregular e, muitas vezes, apresenta rugosidades na superfície.

Somente colocá-la na língua é o suficiente para ter coceira na boca. É 200 vezes mais ardida que a famosa pimenta dedo-de-moça.


7 Pot Douglah ( 1.853.936 SHU)

A 7 Pot Douglah ou Chocolate 7 Pot é conhecida por sua picância intensa e pode chegar até 1.853.396 unidades na Escala de Scoville, embora alguns exemplares possam ser ainda mais picantes.

Seu calor rivaliza com muitas das pimentas mais quentes do mundo. O termo “Douglah” é uma referência ao nome de família de um dos cultivadores originais.

É mais uma originária do Caribe, sendo criada no País Trinidad e Tobago, onde muitas das pimentas mais quentes do mundo são encontradas.

Ela é uma das pimentas mais picantes do mundo que não é vermelha: tem uma aparência que varia de marrom escuro a chocolate, daí o apelido “Chocolate 7 Pot”.


7 Pote Primo (1.469.000 SHU)

Mais uma das muitas variedades de pimentas “7 Pot” é a Primo, que pode chegar até 1.469.000 SHU. Foi desenvolvida por um criador chamado Troy Primeaux, da Louisiana, nos Estados Unidos.

Essa pimenta tem uma forma distinta, com uma aparência que lembra um sino. Ela geralmente é pequena, com uma textura enrugada e uma cor que varia de vermelho a amarelo, dependendo do estágio de maturação.

Alguns cultivadores de pimentas tentaram replicar a aparência dela para terem um ferrão longo.


Trinidad Scorpion Butch T (1.463.700 SHU)

Bem próxima da 7 Pot Prime, a Trinidad Scorpion Butch chega a escala de Scoville com 1.463.700 unidades. Ela também é uma variedade da espécie Capsicum chinense, do país que dá o seu primeiro nome.

A aparência da Trinidad Scorpion Butch T é caracterizada por sua forma pontiaguda e rugosa, com uma cor que varia de vermelho a laranja quando madura.

Seu ferrão na ponta e a sensação de picada dá o título de “escorpião” no nome, além de ser uma homenagem ao seu criador, Butch Taylor, originário do País também. A exposição da pimenta no olho pode causar cegueira temporária.


Naga Viper (1.349.000 SHU)

A Naga Viper, que pode chegar até 1.349.000 SHU, é uma pimenta rara e originária do Reino Unido. O responsável pela sua criação foi o britânico Gerald Fowler, a partir da Naga Morich, a Bhut Jolokia e a Trinidad Scorpion.

Teve o título de pimenta mais picante do mundo por um curto período de tempo (em 2011, no Guinness World Records), pois foi superada por outras variedades.

Ela tem uma aparência que lembra a de outras pimentas da família das Nagas, com uma forma alongada e rugosidades na superfície. A cor varia de vermelho a laranja quando madura.


Bhut Jolokia (1.041.427 SHU)

A Bhut Jolokia, que também teve o nome de Pimenta Fantasma, tem origem indiana e consegue ter um grau de ardência de até 1.041.427 SHU.

Foi a primeira pimenta a ter o 1 milhão na escala testado cientificamente e já teve seu lugar no Guinness World Records. É 400 vezes mais quente que o tabasco.

Seu nome é uma referência ao fato de que seu calor parece se manifestar de forma invisível. A Bhut Jolokia tem uma aparência característica, com uma forma cônica e uma textura enrugada.

Ao mordê-la, a pimenta se rompe e libera a capsaicina, que estimula os receptores de calor e dor distribuídos por toda a língua. É como se a língua tivesse sofrido uma queimadura para o cérebro, desencadeando ainda a ocorrência de ondas de calor e sudorese.


7 Pot Barrackpore (1.000.000 SHU)

Outra variação do 7 Pot que também tem um elevado SHU é a Barrackpore, com 1.000.000 na escala de Scoville. Sua picância pode variar dependendo de fatores como o solo e o clima em que é cultivada.

Ela recebe seu nome da região de Barrackpore em Trinidad e Tobago, onde é cultivada, uma área também famosa por produzir pimentas extremamente picantes.

Tem uma aparência semelhante a outras pimentas da família: geralmente possui uma forma alongada e rugosidades na superfície. Sua cor pode variar de verde a vermelho quando madura.


7 Pot Red (1.000.000 SHU)

Fechando a família, a 7 Pot Red é mais uma com pimenta picante, que consegue chegar a 1.000.000 SHU, mas é muito rara de encontrar.

Pode ser tanto vermelha como também laranja e chocolate. O nome vem da sua capacidade de aquecer sete potes de ensopado em pouco tempo.


Red Habanero Savina (500,000 SHU)

A Red Habanero Savina tem 500.000 na escala de Scoville, e é da espécie capsicum chinense.

O responsável por sua criação foi Frank Garcia, da Califórnia. Ela foi selecionada para obtenção de frutos mais picantes, ácidos e maiores.

Por muitos anos, foi considerada a pimenta mais forte de todas — entre 1994 e 2006 —, mas depois foi ultrapassada pela Bhut Jolokia


Link de referência da matéria: https://www.cnnbrasil.com.br

1 visualização

Comments


bottom of page