top of page

Pesquisadores da Apple divulgam novidade de Inteligência Artificial

Anúncio sugere que sistema poderia beneficiar os futuros produtos da Apple, incluindo iPhones, Macs e seu assistente de voz Siri

A Apple parece finalmente estar revelando alguns de seus esforços em inteligência artificial.


Pesquisadores da Apple afirmam ter desenvolvido uma família de modelos multimodais – um sistema de IA que pode interpretar e gerar diferentes tipos de dados, como texto e imagens ao mesmo tempo – chamada MM1. O relatório diz que seus novos métodos ostentam “habilidades superiores” e podem oferecer raciocínio avançado e aprendizado em contexto para responder a texto e imagens.

O anúncio sugere como tal sistema poderia beneficiar os futuros produtos da Apple, incluindo iPhones, Macs e seu assistente de voz Siri.


Isso acontece enquanto a Apple deve revelar várias novas funcionalidades de IA em sua conferência para desenvolvedores em junho.


Ao mesmo tempo, no entanto, a Apple teria fechado um acordo com o Google que indica que talvez seus próprios esforços em IA ainda não estejam exatamente onde eles gostariam que estivessem. De acordo com um relatório da Bloomberg, a Apple está interessada em licenciar e integrar o motor de IA Gemini do Google, que inclui chatbots e outras ferramentas de IA, nos próximos iPhones e nos recursos do iOS 18.


À medida que mais empresas de tecnologia investem bilhões de dólares no desenvolvimento e lançamento de inteligência artificial, a Apple tem ficado em grande parte fora da conversa, com muitas outras empresas de tecnologia já fazendo grandes avanços no espaço. Uma parceria com o Google catapultaria a Apple para a crescente corrida armamentista em IA.

O relatório também disse que a Apple teve conversas anteriores com a OpenAI, a empresa por trás do chatbot viral ChatGPT.


Apple, Google e OpenAI não responderam a um pedido de comentário.

Em fevereiro, o CEO Tim Cook sugeriu durante uma reunião de investidores que ele vê “um potencial incrível de avanço para a IA generativa, razão pela qual estamos atualmente investindo significativamente nesta área”. Mas a empresa ainda não compartilhou muito sobre sua visão para a IA.

Nos bastidores, a Apple teria trabalhado em suas capacidades de IA generativa no dispositivo e adquirido empresas, como a startup canadense DarwinAI. Também possui uma divisão de Pesquisa em Aprendizado de Máquina dedicada ao avanço da IA.

Angelo Zino, vice-presidente e analista sênior de patrimônio na CFRA Research, disse em uma nota para investidores na segunda-feira que as últimas notícias “provavelmente confirmam que os esforços internos da Apple estão bem atrás dos da OpenAI e do Gemini”.


Mas ele acrescentou que um acordo potencial “mostra que a empresa está séria sobre adicionar capacidades significativas de IA em todo o iOS 18 neste outono, quando lançar seus novos iPhones”.

O Google pode ser bem adequado para a nova parceria em IA considerando sua parceria de pesquisa existente; a empresa investiu pesadamente para garantir que o Google continue sendo a opção de mecanismo de busca padrão no navegador Safari da Apple. No entanto, esse arranjo de pesquisa entre as duas gigantes da tecnologia está sendo revisado pelas autoridades antitruste (que supervisionam o ambiente de concorrência).


Em outra nota para investidores na segunda-feira, analistas da Wedbush Securities disseram que veem a parceria potencial como um benefício para ambas as empresas.

“É uma grande vitória para o Google entrar no ecossistema da Apple e ter acesso à base de usuários dourada de Cupertino, com claramente uma grande taxa de licença anexada a isso”, disseram os analistas.


Isso também daria à Apple a base e a tecnologia para intensificar as funcionalidades do iOS alimentadas por IA atualmente em desenvolvimento.

A parceria poderia levar o Gemini para quase 2 bilhões de dispositivos Apple.

A Wedbush também disse que o acordo seria um enorme “momento de validação” para a posição de IA generativa do Google, considerando que a Microsoft e a OpenAI capturaram uma parcela do mercado inicial comercializando alguns de seus produtos.


Link de referência da matéria: https://www.cnnbrasil.com.br

4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page