top of page

Operação contra envolvidos em atos criminosos, depoimentos de Torres e Do Val à PF

Polícia Federal (PF) iniciou, na manhã desta sexta-feira (3), uma nova fase da Operação Lesa Pátria, que tem como alvos os suspeitos de envolvimento nos atos criminosos contra os Três Poderes do dia 8 de janeiro em Brasília

A nova fase da Operação Lesa Pátria contra os suspeitos de envolvimentos nos atos criminosos em Brasília, e os depoimentos do ex-ministro da Justiça Anderson Torres e do senador Marcos Do Val (Podemos-ES) à Polícia Federal (PF) estão entre os destaques desta sexta-feira (3).


PF cumpre 17 mandados em nova fase de operação contra envolvidos nos atos criminosos de Brasília

A Polícia Federal (PF) iniciou, na manhã desta sexta-feira (3), uma nova fase da Operação Lesa Pátria, que tem como alvos os suspeitos de envolvimento nos atos criminosos contra os Três Poderes do dia 8 de janeiro em Brasília.

Nesta quarta fase da operação, são cumpridos três mandados de prisão preventiva e 14 mandados de busca e apreensão nos estados de Rondônia, Goiás, Espírito Santo, São Paulo, Mato Grosso e Distrito Federal (DF).

As ordens foram expedidas pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Os investigados são acusados dos crimes de “abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, dano qualificado, associação criminosa, incitação ao crime, destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido”, informou a PF.


Em depoimento de dez horas, Torres diz que desconhece autor de minuta golpista

Após dez horas de depoimento, o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública e ex-secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres, afirmou que desconhece a pessoa que elaborou a chamada “minuta do golpe”, e que nunca teria levado o documento ao conhecimento do então presidente Jair Bolsonaro (PL).

O depoimento aconteceu no 4° batalhão da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), nesta quinta-feira (02). A polícia federal e integrantes da PGR chegaram ao local do depoimento pouco antes das 10h30, horário marcado para o início depoimento.

Ainda sobre a minuta do golpe, o ex-ministro disse que era um documento “sem viabilidade jurídica” e ressaltou que tecnicamente era um documento “muito ruim, com erros de português, sem fundamento legal.

Em entrevista exclusiva à CNN, o advogado Rodrigo Roca, que representa Torres, afirmou que ele “explicou sobre tudo que lhe foi perguntado, justificou e mostrou provas”.

O ex-ministro também disse que perdeu o celular, mas o advogado destacou que as informações contidas no aparelho foram disponibilizadas às autoridades.


Em depoimento, Do Val diz à PF que Silveira pediu que gravasse Moraes falando que ‘ultrapassou as 4 linhas da Constituição’

Em depoimento à Polícia Federal (PF), o senador Marcos do Val (Podemos-ES) disse que o ex-deputado Daniel Silveira queria que o senador que gravasse o ministro Alexandre de Moraes falasse algo no sentido de ultrapassar as quatro linhas da Constituição e que Silveira daria um jeito tornar a gravação legal.

Do Val disse também que Silveira afirmou que teria afirmado que poderiam ser usadas as estruturas da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), mas que não acreditava que as instituições de envolveriam no plano.

Do Val disse que se sentiu desconfortável com a proposta e, para encerrar o assunto, pediu alguns dias para pensar e que deveria avisar rapidamente ao ministro Alexandre de Moraes. Neste momento, Jair Bolsonaro teria dito que o aguardaria.

“Durante toda a conversa, o ex-presidente manteve-se calado. Que a sensação que teve era que o ex-presidente não sabia do assunto e que Daniel Silveira buscava obter o consentimento tanto dele como de Bolsonaro”, afirmou em trecho do depoimento.

Em entrevista à revista “Veja”, o senador havia relatado que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) lhe deu uma ordem direta em reunião para gravar o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), para viabilizar uma tentativa de golpe de Estado.

“Naturalmente. Igual ‘tava’ falando comigo. Naturalmente. Ele não entende. Ele é sem noção das consequências”, afirmou Do Val ao ser questionado sobre a fala de Bolsonaro sobre o suposto plano golpista.


“A gente estava sendo governado por gente do porão”, diz Gilmar sobre operação de Marcos do Val

O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes disse que as falas do senador Marcos do Val (Podemos-ES) mostram que o país estava sendo governado “por uma gente do porão”.

Na quinta-feira (2), o senador declarou ter participado de uma reunião com o então deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) e o ex-presidente Jair Bolsonaro, em Brasília, na qual Silveira propôs um plano de golpe de Estado.

“Mostra que a gente estava sendo governado por uma gente do porão. Isto é um dado da realidade. Pessoas da milícia do Rio de Janeiro, com protagonismo na política nacional”, afirmou Gilmar Mendes durante evento Lide em Lisboa, em Portugal.

“Isso que resulta quando vemos a nominata desses personagens e que mostra que temos que ter preocupação até na preservação da nossa integridade física”, disse Mendes.


Lula avalia relação com Congresso e diz que Bolsonaro “preparou golpe” e deve ser punido

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta quinta-feira (2) que Jair Bolsonaro (PL) “preparou o golpe” de Estado e que é necessário puni-lo.

“Esse cidadão preparou o golpe. Hoje eu tenho consciência e vou dizer em alto e bom som: esse cidadão preparou o golpe. Eles queriam fazer aquela bagunça no dia 1° de janeiro, mas eles perceberam que não dava, porque tinha muita polícia e muita gente na rua”, disse Lula em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar, da RedeTV!.

Além disso, o chefe de Estado afirmou que o ex-mandatário cometeu crimes e desrespeitou os outros Poderes da República, devendo responder na Justiça.

0 visualização0 comentário

コメント


bottom of page