top of page

Justiça do RJ ordena soltura de modelo Bruno Krupp após STJ conceder habeas corpus

Em julho do ano passado, modelo atropelou e matou jovem João Gabriel, de 16 anos, quando dirigia a mais de 100 km/h, na Barra do Tijuca, no Rio de Janeiro

A Justiça do Rio de Janeiro determinou a soltura de Bruno Krupp depois do Superior Tribunal de Justiça (STJ) conceder habeas corpus ao modelo, que está preso desde agosto do ano passado.

Em julho, Krupp atropelou e matou o jovem João Gabriel, de 16 anos, quando dirigia a mais de 100 km/h na Avenida Lúcio Costa, na Barra da Tijuca, na capital carioca.


“Em cumprimento a decisão do Superior Tribunal de Justiça, o juízo da 4ª Vara Criminal expediu ordem de liberação em favor de Bruno Fernandes Moreira Krupp”, informou o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) à CNN, nesta quarta-feira (29).

Na decisão, o juiz pontuou a determinação do STJ que “concedeu a ordem para substituir a prisão preventiva por cautelares alternativas”.

O modelo deverá usar tornozeleira eletrônica, comparecer em juízo no início de todo mês, está proibido de deixar o país sem autorização judicial e deverá entregar seu passaporte. Por fim, Bruno Krupp teve o direito de dirigir suspenso e está proibido, por decisão judicial, de obter habilitação.

A defesa do modelo, em nota, afirmou à CNN que “Bruno Krupp vem sendo indevidamente julgado, de forma antecipada, pelo impiedoso Tribunal da internet, em razão de informações inverídicas irresponsavelmente divulgadas nas redes sociais”.

“Foi tomada a decisão correta e adequada de colocar Bruno em liberdade, fazendo cessar o constrangimento ilegal a que vinha sendo submetido pela 4ª Vara Criminal do RJ e pela 2ª Câmara Criminal do TJRJ, que o mantiveram preso por oito meses por conta de um acidente de trânsito no qual evidentemente ele não agiu com a intenção de causar o trágico resultado, como reconhecido pelo STJ”, acrescentou.

“A defesa está confiante de que todas as circunstâncias dos casos em que Bruno está envolvido serão devidamente esclarecidas, de maneira a demonstrar a verdade e reverter toda a injustiça contra ele cometida”, concluiu o comunicado.

Relembre o caso

O modelo Bruno Fernandes Krupp, de 25 anos, foi preso preventivamente em agosto do ano passado por provocar o acidente que provocou a morte de um adolescente de 16 anos, no Rio de Janeiro, no dia 30 de julho daquele ano.

João Gabriel Cardin Guimarães foi socorrido com vida pelo Corpo de Bombeiros, que amputou a coxa esquerda da vítima ainda no local. Ele foi encaminhado para o hospital municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, mas não resistiu e morreu no domingo (31).

Krupp teve escoriações e também foi levado para o complexo de saúde.

De acordo com informações da Polícia Militar, o acidente aconteceu na Avenida Lúcio Costa, na Barra, por volta das 22h50.

O adolescente atravessava a via, quando foi atingido pela motocicleta conduzida por Bruno.

As câmeras de monitoramento de trânsito flagraram o modelo conduzindo uma moto em alta velocidade. Em audiência de instrução em novembro do ano passado, Krupp admitiu que estava dirigindo a mais de 100 km/h.

De acordo com a Secretaria de Estado de Polícia Civil, inicialmente o caso foi registrado na delegacia da Barra da Tijuca como lesão corporal na direção de veículo automotor, mas, com a morte da vítima, o caso passou a ser investigado como homicídio culposo.

A Polícia Civil já havia informado que Bruno Krupp não tinha habilitação para conduzir o veículo.

A Justiça ainda acrescenta que o mesmo teria sido pego por uma blitz de trânsito três dias antes do ocorrido.

Link de referência da matéria: https://www.cnnbrasil.com.br

0 visualização
bottom of page