top of page

Israel defende “todos os meios possíveis” para impedir Irã de obter armas nucleares

As negociações para reviver o acordo nuclear de 2015 entre o Irã e as potências mundiais estão em um impasse desde setembro

Israel disse, nesta sexta-feira (17), que “todos os meios possíveis” estão sobre a mesa para evitar que o Irã obtenha uma arma nuclear e exigiu que a comunidade internacional faça mais para impedir a proliferação de armas avançadas em Teerã.

As negociações para reviver o acordo nuclear de 2015 entre o Irã e as potências mundiais estão em um impasse desde setembro.


Estados ocidentais acusam o Irã de fazer exigências irracionais depois que todos os lados pareciam estar se aproximando de um acordo, mas sem nenhum avanço à vista, o Irã continuou a desenvolver seu programa nuclear.

O órgão de vigilância nuclear das Nações Unidas criticou este mês o Irã por fazer uma mudança não declarada na interconexão entre os dois grupos de máquinas avançadas que enriquecem urânio com até 60% de pureza, próximo ao grau de armas, em sua fábrica de Fordow.

“Quando falamos em impedir o Irã de obter uma arma nuclear, devemos manter todos os meios possíveis – repito, todos os meios possíveis – sobre a mesa”, disse o ministro da Defesa de Israel, Yoav Gallant, falando em um evento ao lado de autoridades dos Estados Unidos, Emirados Árabes e Bahrein na Conferência de Segurança de Munique.

Yoav disse que o Irã está expandindo sua proliferação de armas avançadas para além da região, apesar de um embargo em andamento que inclui restrições a mísseis e tecnologias relacionadas que dura até outubro de 2023 e abrange a exportação e compra de sistemas militares avançados.

“O Irã está atualmente discutindo a venda de armas avançadas para nada menos que 50 países diferentes”, disse ele, referindo-se a drones de combate e munições guiadas com precisão e citando Belarus e Venezuela.

“A comunidade internacional deve criar uma alternativa efetiva ao embargo moribundo – um mecanismo prático de dissuasão e consequências”, disse ele.

Acredita-se amplamente que Israel possui seu próprio arsenal nuclear, embora não confirme nem negue isso.

O acordo de 2015 limitou o programa de enriquecimento de urânio do Irã para dificultar o desenvolvimento de armas nucleares por Teerã, em troca da suspensão das sanções internacionais. O Irã diz que está desenvolvendo a energia nuclear por motivos pacíficos.

A repressão do Irã aos manifestantes e a venda de drones para a Rússia em sua guerra com a Ucrânia também aumentaram as tensões com as potências ocidentais, que dizem que Teerã está violando uma resolução do Conselho de Segurança da ONU com a transferência de drones.

Os Estados Unidos e a União Europeia impuseram várias sanções ao Irã por causa das transferências de drones. A UE deve punir indivíduos ligados à Guarda Revolucionária Iraniana pela produção de drones usados ​​contra a Ucrânia.

Link de referência da matéria: https://www.cnnbrasil.com.br

1 visualização0 comentário

Comentários


bottom of page