top of page

Homem mais rico da Ásia está perto de ceder posição após perdas de US$ 90 bi

Ações das empresas de Gautam Adani continuam a despencar após alegações de fraude

Gautam Adani parece prestes a ceder sua posição como o homem mais rico da Ásia para outro bilionário indiano, já que as ações de seu império de negócios continuam a despencar após alegações de fraude levantadas por um vendedor a descoberto americano.

Em uma investigação publicada na última terça-feira, a Hindenburg Research acusou o grupo ports-to-power de Adani de “manipulação descarada de ações e esquema de fraude contábil ao longo de décadas”.


O Adani Group denunciou o relatório como “infundado” e “malicioso” e disse que está considerando uma ação legal, mas a reação do mercado foi brutal e implacável.

O conglomerado, que tem sete empresas listadas, perdeu mais de US$ 90 bilhões em valor de mercado na semana desde que Hindenburg publicou seu relatório.

A turbulência ocorre apesar de uma breve pausa na terça-feira para Adani, quando sua principal empresa, a Adani Enterprises, conseguiu emitir novas ações no valor de US$ 2,5 bilhões.

O exercício de levantamento de capital foi apresentado como a maior oferta pública de uma empresa listada na Índia. Após um início morno, a oferta foi totalmente subscrita pouco antes do fechamento do pregão em Mumbai.

Mas o interesse dos investidores de varejo foi silenciado e o crash do mercado recomeçou nesta quarta-feira.

As ações da Adani Enterprises fecharam em queda de quase 30% nesta quarta-feira, enquanto as ações da Adani Ports caíram quase 20%.

No auge de sua riqueza no ano passado, Adani era a segunda pessoa mais rica do mundo, à frente de Jeff Bezos.

Essa foi a primeira vez que uma pessoa da Ásia teve uma classificação tão alta na lista da Bloomberg, há muito dominada por empresários de tecnologia brancos.

1 visualização
bottom of page