top of page

Câncer de cólon: colonoscopia é fundamental para o rastreamento e prevenção

O procedimento ajuda a identificar anormalidades no intestino e é importante para o diagnóstico precoce do tumor

O câncer de cólon pode parecer uma preocupação distante para alguns, mas com a crescente tendência de pessoas mais jovens sendo diagnosticadas com a doença, estar informado e ser proativo é crucial. Março marca o Mês de Conscientização sobre o Câncer Colorretal, um momento para educar as pessoas sobre essa doença prevalente e potencialmente letal em ascensão.


Como cirurgião, estou profundamente ciente do impacto que o câncer pode ter. Perdi um querido amigo — um médico, pai e marido, assim como eu — para o câncer de cólon em 2017. Ele tinha apenas 38 anos. Sua memória é um lembrete constante da importância da conscientização e detecção precoce na luta contra o câncer de cólon.


Apenas um ano após perdê-lo, comecei a sentir fortes dores abdominais e uma mudança nos meus hábitos intestinais. Não importa que eu seja urologista; mesmo assim, entrei em pânico e temi o pior. Consultei meu médico e fiz uma tomografia computadorizada, que felizmente não mostrou grandes cânceres. Ainda assim, meu médico recomendou que eu fizesse uma colonoscopia.

Eu estava na casa dos 30 anos, então não atendia aos critérios para uma colonoscopia de rastreamento, mas o médico precisava do exame para fins diagnósticos para completar minha avaliação para os sintomas abdominais. Tecnicamente, a colonoscopia era opcional, mas com a memória do meu amigo sempre em minha mente, não hesitei.


A maioria das pessoas deve começar a fazer colonoscopias de rastreamento aos 45 anos, segundo os especialistas. Um grupo seleto pode precisar começar antes dos 45; iniciar uma conversa com seu médico principal pode ajudar com um plano sobre quando começar e com que frequência.


Os riscos do câncer de cólon

A Sociedade Americana do Câncer estima que haverá cerca de 106.590 novos casos de câncer de cólon nos Estados Unidos este ano, quase igualmente distribuídos entre homens e mulheres. A taxa de diagnóstico para o câncer de cólon vem diminuindo globalmente desde meados da década de 1980, principalmente porque as pessoas estão fazendo exames e mudando fatores de risco relacionados ao estilo de vida.

No entanto, essa tendência de queda é vista principalmente em adultos mais velhos. Para indivíduos com menos de 55 anos, as taxas têm aumentado de 1% a 2% ao ano desde meados da década de 1990.


No geral, o risco ao longo da vida de desenvolver câncer colorretal é de cerca de 1 em 23 para homens e 1 em 25 para mulheres. No entanto, o risco de cada pessoa pode ser maior ou menor do que isso, dependendo de seus fatores de risco para o câncer colorretal. Nem todo mundo precisa de uma colonoscopia precoce, mas todos devem estar cientes dos sinais, sintomas e benefícios do rastreamento.


Entenda seu cólon

O cólon, ou intestino grosso, desempenha um papel crucial em nosso sistema digestivo, atuando essencialmente como o centro de processamento e reciclagem de resíduos do corpo. Após o estômago e o intestino delgado quebrarem os alimentos e absorverem nutrientes, o cólon gerencia o que resta. Seu principal trabalho é remover água e sais desse material, transformando-o de um estado líquido em resíduos sólidos ou fezes, ou como meus filhos gostam de chamar, cocô.


Além do gerenciamento de resíduos, o cólon também abriga um microbioma complexo, que desempenha um papel fundamental na saúde digestiva geral, função imunológica e até na regulação do humor. Todo o cólon tem cerca de 5 pés (150 centímetros) de comprimento e é dividido em cinco segmentos principais, com o reto como o último segmento anatômico antes do ânus.

Por isso, é chamado de Mês de Conscientização sobre o Câncer Colorretal e não apenas conscientização sobre câncer de cólon. O câncer pode ocorrer em qualquer um desses segmentos, destacando a importância de uma colonoscopia abrangente quando indicada.


A grande aventura da preparação para a colonoscopia

A preparação para uma colonoscopia pode ser a parte mais memorável do processo. É menos um procedimento médico e mais um rito de passagem. No dia anterior, você começa a tomar um coquetel de limpeza intestinal destinado a limpar o cólon para uma visualização ideal durante a colonoscopia.

A “preparação” não é tão ruim quanto se poderia pensar. Desidratação e exaustão podem ocorrer, e me lembro de não conseguir dormir na noite anterior, ainda sentindo a necessidade de “ir ao banheiro”. Foi uma experiência e tanto, mas essencial para uma colonoscopia bem-sucedida.


O procedimento de colonoscopia

Um colonoscópio, uma câmera em um tubo flexível, faz “um tour” pelo seu cólon, transmitindo imagens ao vivo que permitem ao médico detectar quaisquer anormalidades. É semelhante a enviar um rover para explorar a lua ou Marte.

Se os médicos encontrarem algo suspeito, como um pólipo, eles podem fazer uma biópsia e/ou removê-lo no local, prevenindo complicações futuras potenciais. Essa abordagem proativa não é apenas diagnóstica; é uma forma poderosa de prevenção que pode oferecer tranquilidade e insights acionáveis sobre sua saúde.


Felizmente para mim, a colonoscopia não revelou sinais de câncer, e meus sintomas já haviam sido resolvidos na época. Embora meu procedimento fosse principalmente por motivos diagnósticos, exames regulares são essenciais para muitos, servindo como uma medida preventiva fundamental.


O que você deve fazer em seguida?

O Grupo de Trabalho de Serviços Preventivos dos EUA recomenda que adultos entre 45 e 75 anos façam exames regulares de câncer colorretal, enfatizando a importância da detecção precoce.

Aqueles com um risco elevado, talvez devido a histórico familiar ou outros fatores, devem consultar seu provedor de cuidados de saúde para determinar o melhor cronograma e métodos de triagem adaptados às suas necessidades específicas.


Apesar dessas recomendações, uma parte significativa da população elegível hesita em participar dos exames. Alguns fatores para isso incluem o desconforto associado aos testes baseados em fezes, a preparação necessária para os procedimentos e a ansiedade em torno dos exames de colonoscopia.

Essa apreensão pode contribuir para apenas cerca de 60% das pessoas elegíveis para triagem de câncer colorretal se manterem atualizadas nos testes recomendados. Se não fosse pela lembrança do meu amigo, provavelmente estaria no grupo dos “vou pular tudo isso”.

Em um desenvolvimento promissor, um novo teste de triagem para câncer de cólon baseado no exame de sangue apresentou uma eficácia de 83% na detecção da doença, de acordo com um estudo publicado em 13 de março no The New England Journal of Medicine.


Este teste identifica marcadores de DNA liberados por células cancerosas no sangue, específicos para o câncer colorretal. Embora não substitua uma colonoscopia, um resultado positivo neste teste indica a necessidade de exames adicionais. A esperança é que, uma vez aprovado pela FDA (Food and Drug Administration) dos Estados Unidos, este teste de sangue aumentaria a triagem para câncer colorretal.

Se você tiver qualquer sintoma anormal em qualquer parte do seu corpo, faça exames. Quanto mais cedo o fizer, mais provavelmente viverá por mais tempo graças ao cuidado proativo.


Link de referência da matéria: https://www.cnnbrasil.com.br

2 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page