top of page

BBB23: MC Guimê lembra infância difícil e quase usou cadeira de rodas

Antes de dormir na madrugada desta sexta-feira (3), MC Guimê conversou com alguns brothers sobre sua vida fora da casa. Ele revelou que teve uma infância difícil e até comentou de problemas de saúde na infância, onde poderia ter “atraso mental” e até tinha a possibilidade de usar cadeira de rodas.

“Nasci prematuro. Fui diagnosticado e ia ter quatro anos de atraso mental, ia precisar de cadeira de rodas… mas graças a Deus, eu superei”, afirmou o cantor.

“Desde muito novo eu me cobrava muito de precisar ajudar minha família, fazer algo a mais. Tanto que quis começar muito novo, com 11 anos fui atrás do meu primeiro emprego”, acrescentou.

Guimê ainda falou que precisou “correr atrás” desde cedo e que achou que a vida no trabalho seria fácil, mas não foi bem assim.


GRUPOS ATRAPALHAM O REALITY?

Sim, é verdade que todos os Big Brothers têm uma temática que sempre se repete: Grupos. Vira e mexe o público acolhe um lado e despreza o outro, mas, a graça do reality é não só ver como os indivíduos podem jogar sozinhos como formar alianças inesperadas. Imagina se neste ponto alguém do Deserto se une ao Fundo do Mar e divide a casa novamente deixando todo mundo atento em movimentos que não eram previsíveis?

Por exemplo, Fred Nicácio é um grande estrategista, mas, se perde muitas vezes em colocar outros membros do grupo na reta. Nesta semana seu grupo viu dois integrantes, Domitila e Cezar Black, enfrentarem o Paredão. Se por ventura um deles saísse, um desfalque aconteceria e deixaria a casa menos equilibrada.

Se olharmos por meio de uma lente mais recente chegamos a “A Fazenda 14”, da Record TV, onde a divisão de grupos foi tão forte que semana a semana os votos eram em dois concorrentes: Um do A e outro do B. Sabemos que as dinâmicas que o Big Boss coloca em campo é justamente para colocar uma pulga atrás da orelha de cada um e então separar e criar novos grupos. O que parecia ser uma rede em um muro de concreto… Pode desmoronar. Nesta semana, Bruna Griphao e Paula mostraram discordância por conta do Jogo da Discórdia. A loira disse que joga com o grupo, enquanto Paula colocou Tina como a menos confiável, tendo ali Marvvila para ser eleita, estratégia usada pela loira. Isso gerou um incômodo entre as duas, e não me leve a mal, mas, é isto que tem que acontecer.

inâmicas de grupos são cansativas e geralmente mostram que é uma segurança para eles, porém, assume-se os riscos de nem sempre as personalidades serem amadas pelos integrantes dele, ou pior: Do público. Por isso, sim, torço para o fim entre as brigas entre A e B, Mar e Deserto.

Precisamos que os jogadores escolham se posicionar independente do quarto que estão dormindo. Mesmo que no início seja mais para sobrevivência, é visto que o público está começando a se queixar e tendo dificuldades para ter uma conexão com a maioria ali, por que suas personalidades ficam ofuscadas diante de tantas pessoas.

0 visualização
bottom of page