top of page

Austrália relata primeira infecção humana por gripe aviária

A variante H5N1 da gripe aviária varreu o mundo nos últimos anos, matando milhares de milhões de aves de criação e selvagens e espalhando-se a dezenas de espécies de mamíferos

A Austrália relatou seu primeiro caso humano de gripe aviária nesta quarta-feira (22) em uma criança que as autoridades disseram ter sido infectada na Índia, mas se recuperou totalmente, enquanto uma cepa diferente, altamente contagiosa, foi encontrada em uma fazenda de ovos.


A cepa H5N1 da gripe aviária varreu o mundo nos últimos anos, matando milhares de milhões de aves de criação e selvagens e espalhando-se a dezenas de espécies de mamíferos .

As autoridades de saúde do estado de Victoria, no sudeste da Austrália, disseram que o rastreio de contatos não identificou mais nenhum caso e que há uma probabilidade muito baixa de outras pessoas serem infectadas, uma vez que a gripe não se espalha facilmente entre as pessoas.


“Este é o primeiro caso humano confirmado de gripe aviária altamente patogênica na Austrália”, disse Claire Looker, diretora de saúde do estado, em um comunicado.

Foi o primeiro caso de detecção da cepa H5N1 em uma pessoa ou animal no país, acrescentou.

“A criança teve uma infecção grave, mas não está mais doente e se recuperou totalmente.”

 

O caso em Victoria envolve o vírus H5N1, mas a cepa não é a mesma responsável pelos surtos nos Estados Unidos, disse Looker.

Um trabalhador agrícola no Texas testou positivo para o vírus no início deste ano, quando ele se espalhou pelo rebanho bovino dos EUA.

A Austrália é o único continente onde os animais permaneceram livres do vírus da gripe aviária H5N1, mas as autoridades disseram na quarta-feira que uma cepa diferente de gripe aviária altamente patogênica foi detectada em uma fazenda de ovos perto de Melbourne.


Os primeiros testes laboratoriais mostraram que o vírus era uma cepa H7 ainda não identificada, que provavelmente veio da população de aves selvagens e já havia sido vista na Austrália antes, disse Graeme Cooke, veterinário-chefe de Victoria.

Foram impostas restrições ao movimento ao redor da fazenda e as aves seriam destruídas, acrescentou.

“Esta área tem uma alta densidade de negócios avícolas, tanto de postura de ovos quanto de carne de aves”, disse Cooke à rádio Australian Broadcasting Corporation (ABC).


“Neste estágio, não podemos dizer se haverá alguma propagação para outras propriedades. Estamos agora tomando as medidas necessárias para eliminá-la e remover qualquer propagação posterior”.

O surto não apresentou risco para a saúde humana, disse ele.

Apenas uma pequena parte da indústria foi afetada, disse Rowan McMonnies, presidente-executivo da entidade industrial Australian Eggs, acrescentando que os agricultores estariam “trabalhando duro para garantir que haja ovos nas prateleiras”.


O produtor de frango Inghams Group ING.AX despencou até 16%, mas reduziu as perdas para 5,5%, depois de afirmar que as operações não foram afetadas.

A Federação Australiana de Carne de Frango (ACMF) disse que as empresas intensificaram as medidas de biossegurança como precaução, mas acrescentou: “Nenhum impacto discernível é esperado no fornecimento de carne de frango no varejo”.


Em 2020, Victoria foi palco de um surto de H7N7, o mais recente dos nove surtos de gripe aviária altamente patogénica (GAAP) na Austrália desde 1976. Todos foram rapidamente controlados e eliminados, diz o governo.


Link de referência da matéria: https://www.cnnbrasil.com.br

0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page