top of page

Antibiótico mais usado contra sífilis está em falta nos EUA e casos aumentam

Coalizão Nacional de Diretores para assuntos sobre Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) e 38 grupos de saúde pública pedem ajuda à Casa Branca


O tratamento antibiótico mais usado contra a sífilis está em falta nos Estados Unidos à medida que as infecções por essa bactéria aumentam, e mais de trinta grandes grupos de saúde pública apelam à intervenção da Casa Branca.


A Coalizão Nacional de Diretores para assuntos sobre Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) e 38 grupos de saúde pública enviaram uma carta na segunda-feira (2) aos membros da força-tarefa contra a escassez de medicamentos da Casa Branca, detalhando como as clínicas estão enfrentando problemas ao encomendar o medicamento para sífilis.


A bicilina, uma forma injetável de ação prolongada do antibiótico penicilina, é usada no tratamento da sífilis. Aqueles que conseguiram fazer pedidos estão recebendo apenas pedidos parcialmente atendidos ou atrasados.

A carta pede ao grupo de trabalho da Casa Branca que assuma o déficit de bicilina como prioridade e trabalhe com a empresa farmacêutica Pfizer para garantir um fornecimento adequado.


“A Bicilina LA continua a ser o tratamento preferido para a sífilis primária e secundária em adultos, bebês e crianças, e o único tratamento aprovado para a sífilis em mulheres grávidas”, de acordo com a carta.

“Como único fabricante de penicilina G benzatina nos Estados Unidos, a incapacidade da Pfizer de fornecer quantidades adequadas de Bicilina LA deixou a Food and Drug Administration [órgão equivalente à Anvisa nos EUA], os Centros de Controle e Prevenção de Doenças e muitos departamentos de saúde locais e estados lutando para racionar adequadamente os produtos”, diz a carta, assinada por organizações envolvidas em assuntos de saúde pública.


“As comunidades afetadas e as principais partes interessadas precisam conhecer as causas exatas da atual escassez, incluindo a forma como a Pfizer planeia resolver esta situação e evitar que aconteça novamente. Os investimentos nos esforços de prevenção da escassez devem ser priorizados e esperamos que a empresa já esteja fazendo progressos na resolução da escassez de Bicilina LA mais cedo do que o indicado. Mas precisamos do apoio do grupo de trabalho contra a escassez de drogas para garantir a responsabilização.”


A Coalizão Nacional de Diretores para assuntos relacionados a ISTs confirmou à CNN na terça-feira que não recebeu resposta da Casa Branca ou da força-tarefa.


Um porta-voz da Casa Branca disse em um comunicado que o governo “continua focada no fortalecimento da resiliência de cadeias de abastecimento críticas, incluindo aquelas de produtos médicos, como produtos farmacêuticos”. “O presidente [Joe] Biden emitiu cinco ordens executivas para catalisar a ação de todo o governo em direção a esses objetivos.”


“Este trabalho para fortalecer as cadeias de abastecimento farmacêutico é uma continuação do trabalho que começou no primeiro dia da administração do presidente Biden para garantir que os americanos possam ter acesso aos medicamentos de que precisam, quando precisarem deles.”


A Pfizer disse por e-mail que está em constante comunicação com o CDC e a FDA sobre o seu fornecimento de bicilina e aumentou a sua produção em cerca de 30% neste ano, com o objetivo de duplicar a produção até ao fim do próximo ano. Segundo a empresa, esse aumento ainda levará algum tempo para ser sentido no mercado.


Os Estados Unidos enfrentam um aumento nos casos de sífilis. De 2017 a 2021, os casos notificados aumentaram cerca de 74%, e a sífilis congênita (quando uma mãe transmite a infecção ao seu bebê durante a gravidez) aumentou mais de 203%, de acordo com dados do CDC.


Em 2021, os casos de sífilis congênita foram notificados em quase todos os estados e atingiram o nível mais alto em mais de 27 anos.

“É devastador ver o aumento dramático de casos de sífilis congênita completamente evitáveis, enquanto as clínicas não conseguem obter o antibiótico básico de que necessitam para salvar vidas e prevenir consequências profundas para os recém-nascidos”, apontou David C. Harvey, diretor executivo da Coligação Nacional de Diretores para assuntos sobre IST.


“O governo deve lançar uma resposta à epidemia de sífilis, o que garantirá que as clínicas possam obter a Bicilina LA de que necessitam neste momento e evite que situações de escassez repetidas como esta voltem a acontecer.”


A Pfizer reconheceu fornecimentos limitados de bicilina em junho e estimou que o problema poderia não ser resolvido até 2024.


A empresa enviou uma carta aos médicos neste mês, afirmando que a “interrupção no fornecimento” que afeta a bicilina “é o resultado de uma combinação complexa de fatores, incluindo aumentos significativos na procura”, devido a um crescimento no número de casos de sífilis. Para atender a esse aumento na demanda, a Pfizer priorizou a capacidade de produção.”


Nos meses que se seguiram a esse anúncio, muitos departamentos estaduais de saúde, incluindo os da Califórnia, Louisiana, Minnesota, Pensilvânia, Texas e Virgínia, emitiram alertas de saúde sobre a escassez e recomendações sobre opções alternativas de tratamento para pacientes com sífilis.


Link de referência da matéria: https://www.cnnbrasil.com.br

1 visualização

Comments


bottom of page