top of page

8 tendências para profissões da área da saúde

Manter-se constantemente atualizado pode ser um diferencial em diversas carreiras, porém, em algumas, trata-se de uma necessidade.

Esse é o caso dos profissionais da saúde, que devem, mesmo depois de formados, manter-se atentos às atualizações da ciência, de novas ferramentas, procedimentos ou até mesmo formas de atender, com o objetivo de oferecer o melhor atendimento possível aos pacientes.

E quando falamos de atualização ou inovação, um outro elemento a ser levado em consideração e trazido para a discussão é a tecnologia. Com a pandemia, a relação entre saúde e tecnologia ficou ainda mais evidente, assim como as transformações ocasionadas pelo seu uso.


A seguir, foram listadas as principais tendências do futuro para a área da saúde que mencionam algumas dessas transformações, elencadas pelos médicos e coordenadores pedagógicos da medtech Sanar, uma plataforma on-line de educação médica.

Veja a seguir 8 tendências para profissões da área da saúde: 1- Atendimento digitalizado A pandemia fez com que o atendimento on-line passasse a ser a alternativa mais viável com a recomendação do distanciamento social, e isso deve continuar. De acordo com os porta-vozes da medtech, os retornos às consultas médicas, por exemplo, podem ser feitos on-line. Também há uma discussão acerca da adoção de aplicativos como portas de entrada digitais para o sistema de saúde. 2- Uso de Inteligência Artificial A utilização da machine-learning, uma vertente da inteligência artificial que oferece a possibilidade de identificar padrões em dados e automatizar a construção de modelos analíticos, será cada vez mais comum na área da saúde, segundo a equipe de médicos da Sanar. Com a Covid-19, novos formatos de triagem de pacientes baseado em dados se tornaram cada vez mais comuns, o que ajuda a otimizar os recursos. 3- Utilização do pensamento ágil para criar soluções na área de saúde O pensamento ágil aplicado ao lean software na indústria têm sido adotado para testar soluções novas na saúde. Testar rápido, aprender, adaptar com mínimo de custos, evitando-se o desperdício, são pilares que estão sendo incorporados na saúde. Pesquisadores estão se unindo para criar coisas incríveis como ventiladores mecânicos que custam dez vezes menos. “Existia uma convicção de que tudo relacionado a saúde deveria ser extremamente complexo e caro, mas com a pandemia profissionais da saúde perceberam que existem outros caminhos”, conta Ricardo Zantieff, cirurgião geral, professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e coordenador pedagógico da Sanar. 4- Empoderamento do paciente De acordo com os porta-vozes, cada vez mais as pessoas buscam ativamente informações qualificadas sobre doenças, tratamentos, alternativas e possibilidades, há um desejo latente em compartilhar decisões com o profissional da saúde. Existe uma onda de autocuidado acontecendo e, por isso, soluções nesse caminho ganham espaço. O profissional deve sempre orientar e explicar os cuidados que o paciente precisará ter ao tomar qualquer decisão com base no que vê na internet. Isso é especialmente importante em um período com alta disseminação de conteúdos falsos. 5- Conexão emocional O setor da saúde está entendendo de uma forma mais estruturada que entregar um bom serviço está cada vez mais distante de somente fazer o diagnóstico e dar uma consulta, uma vez que tecnologias como a inteligência artificial, por exemplo, podem vir a fazer cada vez mais no futuro. Grande parte do valor para o paciente está na capacidade do médico(a) de se conectar com a sua realidade social, manejar suas expectativa, emoções e dar uma excelente experiência de cuidado para o indivíduo. “Entregar a parte técnica com qualidade é apenas um pré-requisito para um bom atendimento, mas não é mais uma garantia de sucesso ou adesão terapêutica”, explica Tamiris Machado, médica e coordenadora pedagógica da medtech. 6- Uso de dados A tendência é de que cada vez mais a área da saúde leve em conta a análise de dados no tratamento de pacientes e estudo de doenças, segundo porta-vozes da Sanar. A experiência com Covid-19 mostra a importância, por exemplo, de usar dados globais para rastrear os sintomas da doença e as diferenças que apresentadas em cada país. 7- Profissionais influenciadores Você provavelmente já deve ter encontrado um perfil de um profissional da área da saúde nas redes sociais. Antes, o eixo da autoridade técnica estava, em grande parte, em instituições como hospitais e faculdades, explicam os porta-vozes. Porém, hoje um profissional pode lotar seu consultório por ser uma autoridade digital e mostrar que tem expertise e conteúdo necessário. Essa autoridade compartilhada permite que os profissionais ganhem protagonismo pessoal e se tornem menos dependentes das estruturas estabelecidas. 8- Conhecimento colaborativo Profissionais de saúde e pessoas, de um modo geral, vão sair da pandemia com uma perspectiva mais colaborativa no que tange ao compartilhamento de conhecimento, de acordo médicos da Sanar. Isso também acelera plataformas comunitárias de trocas de informação e casos clínicos. Além da colaboração técnica, que tende a ser mais acentuada, como no comportamento intensificado por pesquisadores pelo mundo para encontrar a cura da COVID-19.

3 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page